Abstract

O artigo reúne os relatos de três pesquisadores peruanos que participaram de uma caminhada etnográfica na centralidade financeira da Vila Olímpia, em São Paulo. Seus pontos de vista destacam os elementos que chamam a atenção do espaço construído em comparação com sua experiência de Lima, e das práticas que observadas. Destacam a situação desigual do trabalhador do escritório e dos trabalhadores de serviço. Observam também a grande sincronia da "hora do almoço", um momento central da vida urbana nesta centralidade. Finalmente, destacam o papel do controle sobre o espaço público, que recai mais sobre os agentes privados do que sobre o poder público, bem como o contraste de um discurso de desenvolvimento sustentável em um cenário urbano onde se promove o consumo de bens de luxo.
Original languageSpanish
Pages (from-to)1-22
Number of pages22
JournalRevista do núcleo de antropologia urbana da USP
Volume2
Issue number30
StatePublished - 1 Jan 2022

Cite this